Nota de Repúdio ao veto do Gênero e da Diversidade Sexual no Plano Municipal de Educação de Simões Filho

 
Câmara de Vereadores de Simões Filho exclui gênero e diversidade sexual do plano de educação

Diante da última etapa de tramitação do Projeto de Lei que trata do Plano de Educação da Cidade de Simões Filho na Câmara Municipal, o Grupo Contra o Preconceito vem manifestar repúdio à aprovação da supressão das estratégias voltadas à promoção da igualdade de gênero e da valorização da diversidade e combate a qualquer tipo de violência e discriminação, na perspectiva da garantia dos direitos humanos;
além de não haver menção ao diagnóstico da situação educacional, não foi apresentada qualquer justificativa para embasar as decisões de alteração do projeto que foi aprovado em Audiência Pública com plenária lotada de professores, alunos e movimentos sociais na Câmara de Vereadores.
A referida aprovação desconsiderou um longo processo de estudo, formulação e negociação de propostas.Desconsiderou-se também a participação da sociedade civil de Simões Filho, principalmente os movimentos sociais que trabalham a questão de gênero, LGBT e Sexualidades na elaboração das Metas e Estratégias agora alteradas.
Reafirmamos nossa indignação com o conteúdo do substitutivo de Plano de Educação da Cidade de Simões Filho, aprovado pela Câmara de Vereadores de Simões Filho, e solicitamos que o plenário da Câmara de Vereadores quando for aprovar algum projeto de lei abra um debate maior aos movimentos sociais e a população através de consultas púbicas ou audiências públicas que garanta o que esta escrito no Artigo 5 da Constituição Federal  de 1988, sobre o respeito a orientação sexual e identidade de gênero.
Entendemos que só assim o Plano de Educação poderá se constituir em um eficaz instrumento na superação das desigualdades nesta cidade, orientando o planejamento de médio e longo prazo, a avaliação e o controle social de políticas educacionais.
Contamos com a consideração e apoio dos vereadores que são parceiros da educação e dos direitos humanos que responda de fato as necessidades educacionais e os anseios da população da cidade de Simões Filho respeitando o ESTADO LAICO não sobrebondo suas convicções religiosas frente ao processo coletivo do bem comum, e colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Assinam a nota:
Grupo Contra o Preconceito/Simões Filho

5ª Caminhada Rosa de Simões Filho diz não à Discriminação

O Grupo Contra o Preconceito de Simões Filho já criou um evento no Facebook para anunciar data e tema da manifestação de 2015, que chega à sua 5ª edição na cidade de Simões Filho. No dia 26 de abril, às 15h, na já tradicional Avenida Elmo Sereno Farias sob o tema:

"Ser diferente não é um problema, o problema é ser tratado diferente".

A diretriz do evento, de acordo com a organização, é a alegria de viver as diferentes identidades, orientações sexuais e o respeito à diversidade. Lutar pela discriminação, preconceito e pela intolerância. Ainda segundo a organização, o tema da Caminhada de 2015 busca fazer uma reflexão sobre as varias formas de discriminações as minorias.

Serviço:
5ª CAMINHADA ROSA DE SIMÕES FILHO 2015
Tema: "Ser diferente não é um problema, o problema é ser tratado diferente".

Data: 26 de abril de 2015
Concentração: a partir das 14hs na entrada do Colégio Polivalente -CIA II
Realização Grupo Contra o Preconceito (GCP)
Apoio: Prefeitura  de Simões Filho e Fórum Baiano LGBT
Contato: grupocontrapreconceito@yahoo.com.br
(71)92355101/81225149-Rafael  ou  (71)93114425-Rosa

Papa Francisco pede para almoçar com presos gays, transsexuais e portadores de HIV

papa
O papa Francisco pediu para almoçar no último sábado (21) com 90 prisioneiros de uma cadeia próxima a Nápoles, na Itália, entre eles gays, transsexuais e portadores de HIV. O encontro não estava no cronograma, segundo reportou o canal Tv2000, operado por bispos italianos, mas o papa fez esse pedido especial e abriu espaço na agenda.
A atitude não é nova. Semanas depois de ser escolhido papa, o argentino lavou os pés de muçulmanos e mulheres encarceiradas. Nesta sexta-feira (20), ele também reiterou o posicionamento da Igreja Católica contra a pena de morte. Nas palavras dele, a execução é “inadmissível, independentemente de quão grave for o crime”, segundo a Time.