Parada gay de Brasília terá culto religioso

igreja

Todo respeito à diversidade! Amém! A programação da 17ª Parada do Orgulho LGBTS de Brasília incluirá, pela primeira vez, um culto religioso. E não se trata de qualquer igreja, mas sim da Comunidade Athos, com sede no Conic e que inclui LGBT.

O culto será realizado na quarta-feira, 3 de setembro, às 19h30. No dia 7, a partir das 14h30, na altura da 112 Sul, será dado início à parada. O culto será especial. A pastora Marcia Dias fará sermão sobre o orgulho LGBT.

Mais informações sobre a programação da parada LGBTS de Brasília de 2014 serão divulgadas nas próximas semanas. Com informações do Paroutudo

Governo da Bahia cria Comitê voltado para saúde da população LGBT

bandeira-do-estado-da-bahia

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB) acaba de criar o Comitê Técnico Estadual de Saúde Integral da População LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), que terá a função de capitanear discussões e participar da realização de políticas de saúde voltadas para esses grupos no estado. O comitê foi instituído através da Portaria nº 919, publicada no último dia 1º de julho, e atende a objetivos estabelecidos na Política Nacional de Saúde LGBT. Confira abaixo o texto oficial da Portaria.

Veja a portaria:

PORTARIA Nº 919 DE 01 DE JULHO DE 2014

Instituir o Comitê Técnico Estadual de Saúde Integral da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT.

SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA – SESAB – no uso das suas atribuições legais que lhe confere o Decreto Simples, publicado no Diário Oficial do Estado em 18 de Janeiro de 2014;

Considerando a Portaria nº 2.836/GM/MS, de 1º de dezembro de 2011 que institui a Política Nacional de Saúde Integral LGBT no âmbito do SUS;

Considerando a Portaria do Ministério da Saúde nº 2.837, que redefine o Comitê Estadual de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Comitê Estadual LGBT);

Considerando a importância de aprofundar o conhecimento teórico e prático sobre o tema da saúde LGBT no território baiano, a necessidade de implementação de ações de educação permanente para gestores/as, trabalhadores/as da saúde e conselheiros/as de saúde sobre valores, como o respeito aos direitos humanos e defesa dos direitos de cidadania LGBTs;

Considerando a necessidade de regulamentar a organização e o funcionamento do Comitê Estadual de Saúde LGBT, conforme a Portaria do Ministério da Saúde nº 2.979, publicada no Diário Oficial da União, de 15 de dezembro de 2011;

Fonte: Site Dois Terços/Diario Oficial da Bahia

Grupo Contra o Preconceito abraça a campanha Proteja o Gol e dá início às atividades nesta quinta

Grupo Contra o Preconceito/BA irá reproduzir a campanha ‘Proteja o Gol’ liderada pelo UNAIDS e UNFPA que vai distribuir folhetos educativos, bandanas e 10 mil preservativos.

Para marcar a campanha na cidade de Simões Filho uma equipe de voluntários fará a distribuição dos materiais informativos e educativos da campanha e preservativos. A Campanha será realizada durante os festejos de São Pedro, Arraia das Viúvas, que terá 4 dias de festa e muitas apresentações culturais.
 
Além da ação no dia 26, o GCP/Simões Filho irá realizar mais quatro agendas de promoção da campanha. Nos dias 27, 28, 29 de junho e 01 de julho, no Arraia das Viúvas e na passagem do Fogo Simbólico da Independência da Bahia, no Centro da cidade. Cerca de 20 voluntários integram a equipe e ao todo serão distribuídos 5 mil materiais impressos e 10 mil preservativos disponibilizado pelo Programa Estadual de DST/AIDS.
 
A campanha ‘Proteja o Gol’, iniciou na África do Sul, durante a Copa de 2010 e tem como objetivo usar a popularidade e poder de união do esporte para promover a prevenção do HIV, principalmente entre os jovens. Estrelas de futebol, como o alemão Michael Ballack e o brasileiro David Luiz, participam do projeto. Segundo os dados do boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, a AIDS ainda causa 12 mil mortes e 40 mil novas infecções anualmente. Estimativas indicam que, atualmente, cerca de 718 mil pessoas vivam com HIV, sendo que 150 mil desconhecem sua situação sorológica. O maior desafio a ser enfrentado no combate a doença é o não conhecimento da sorologia positiva para o HIV – fator retarda o tratamento e amplia o risco de adoecer em consequência do vírus.